O post é grande, mas eu precisava falar. rsrs Semana passada, fui dar uma voltinha no blog da Melina e me deparei com um post pra lá de complexo.

Explico: uma das madrinhas (Vanessa) dizia para os 4 ventos: EU ODEIO CASAIS. Hein?

Claroooooooooooo que li o post até o fim. Afinal queria entender o que a madrinha queria dizer com essa frase, principalmente em um blog para coisas de amor, corações e estrelinhas, né?

Peço licença para a autora e coloco suas palavras aqui:

"Casais geralmente se anulam, se cobram, se frustram, nunca estão errados, se acomodam, e se culpam por suas respectivas infelicidades, são irritantes e hostis. Fora esse clichê todo, eles se isolam. Afinal, são suficientes um para o outro, olha que lindo. (NOT!) E depois não entendem o porque se cansam ou porque parece que a vida vai acabar quando o relacionamento não dá certo."

Então fiquei pensando: de certa forma ela tem razão!

Nãaaaaaaaao! Não estou chamando ninguém de chato, entendam! Mas digo isso porque conheço muita gente que, infelizmente, se anularam para viver o que chamam de amor e foram (ou ainda são) infelizes.

- Perae, Paula! Tá dizendo que temos que viver juntos mais separados. Sem demonstrar, sem cultivar?

Nãaaaaaaaaaaao de novo!

Relacionamento é tão, tão complicado, que nunca sei se ficar junto é bom, ou ruim. Mas eu digo junto d+, sabe? Sem deixar o outro respirar, sem você viver a sua vida. Uma vez ouvi um pastor dizer:

- Você não casa para ser feliz! Você casa para fazer o outro feliz! Porque quando ele(a) está feliz, você também está.

Ok. Isso é lindo! Maaaaaaaaaaaaaaaaaas...

Vocês que me acompanham sabem que já passei pendengas e mais pendengas nessa vida amorosa e para ser bem sincera, já tinha desistido do tal do AMOR e acreditava que eu não tinha nascido para isso.

E por passar por momentos assim, acabei (leia: fui forçada!) por aprender muita coisa e observar relacionamentos com outros olhos.E por mais que eu batesse no peito dizendo que não queria, Deus tem me surpreendido e me mostrado o quanto eu estava errada!

Onde quero chegar?

Quero dizer que o amor é como a bíblia diz, LITERALMENTE:
"O Amor é paciente,é benigno, o amor não arde em ciúmes, não se ufana, não se ensoberbece, não se conduz incovenientemente,não se exaspera, não se ressente do mal, não se alegra com a injustiça, mas regozija-se com a verdade, tudo sofre, tudo crê, tudo espera, Tudo suporta..." (texto na íntegra em I Co 13)
Isso quer dizer que o amor não nega o outro!

O amor aceita o outro com seus defeitos, suas falhas, seus sonhos que podem ser encaixados nos sonhos do outro, suas expectativas que se tornam expectativas do outro sem anular as dele(a).

Senão tiver isso, não é amor! É qualquer outra coisa, mas amor... Não, não e não!

Será que consegui me fazer entender?
Como diz a música do TOM:

"Fundamental é mesmo o amor É impossível ser feliz sozinho..."


7 Comentários

Lilian Gomes disse...

Paulinha, que tudo esse post, devo dizer que detesto post grande, mas o seu me fez contradizer o que eu penso e falo... li tudinho
que delícia de texto e vc está super certa... de verdade!!!

Adorei ver minha frase aí no final, te falei que fiz os chinelos p as madrinhas??? obaaaaa

beijo flor

Marílinha disse...

Bom, penso que viver PARA o outro não faz parte do amor. "e serão uma só carne", mas não uma só pessoa. Ser um, enquanto casal, não tira a individualidade de cada um como um SER.
O amor sabe separar quando necessário, sabe respeitar privacidades, sabe dar liberdade...
Amo o Igor mas sei que ele tem seus amigos, liberdade, PRIVACIDADE, alem de muitas vezes querer também estar só!
E quem ama respeita tudo isso!
:D

Cris Rodrigues disse...

Eu concordo completamente. Acho impossível alguém ser capaz de amar sem aprender a se gostar primeiro.
E acho sim, muito triste esse tipo de amor incondicional, onde a pessoa se anula completamente pelo outro.
É muito importante e saudável manter a individualidade e a independência... Isso não é egoísmo e sim maturidade!

Elisa disse...

Concordo tb! Achei o post da Melina ótimo! Fala sério! Nós temos que aprender a ser feliz sozinhos e não depositar essa felicidade no outro. Amar é ter com quem dividir, é ser cúmplice, é multiplicar a felicidade. Mas não é necessidade fisiológica. Se o relacionamento não der certo, vc tem que ser capaz de seguir em frente. Tb não curto esses casais que não vivem um sem o outro. O nome disso é simbiose. Amor é outra coisa... =P

Bjs!

Melina Senson disse...

Ain que delicinha ver vc falando disso flor!!! MESMO! Achei que num primeiro momento minha madrinha pudesse ser mal interpretada, mas percebi que vocês entenderam o recado ;) (ÊBA!)
E mais: sempre disse que cada um é cada um, mesmo sendo um casal (eu continuo sendo a Melina e ele o Michael) e assim como você sofri horrores e tive que aprender na marra!!!
O amor é lindo, quando é verdadeiro. Não é preciso abrir mão de NADA para amar e ser feliz.
Beijosss

Larissa disse...

Eu sou uma dessas que criticava quem abandonava os amigos por causa de namorada e quando comecei com o noivo dei uma afastada, mas toda vez que encontrava com meus amigos (95% homens) eles falavam alguma coisa que depois desencadeava uma briga. Na hora eu nem percebia pois conheço eles e levava na brincadeira, mas o noivo não, ne? E até provar que ovo não tem pelo... então optei por me afastar pois já encerrei relacionamento por amigos e esse é pra casar!!!
Então fomos fazemos outras amizades, mais com casais e ai fica tudo bem. Mas que sair só nós dois de vez em quando é tudo de bom!
Bjo

Carolina disse...

Post perfeito!
Elmo vive me dizendo que eu tenho que me gostar muito primeiro, porque como é que ele acreditaria que alguém o ama tanto se não consegue gostar de si mesma?

Vou roubar pra mim a última frase da Cris e a da Elisa também! =)

E eu vivo é tomando susto com música que começa de repente! Principalmente de madrugada, quando tá tudo silencioso... ^^

=***

Tecnologia do Blogger.

Labels